Amados irmãos,

Disponibilizamos para o desfrute de todos as notas das palavras ministradas no Encontro Verdadeiros Adoradores, evento de aperfeiçoamento para músicos, líderes de louvor e irmãos responsáveis das igrejas da região 8B ocorrido em Limeira no dia 15/06/2017. Estavam presentes 150 irmãos e irmãs de 26 igrejas. O ambiente foi de muita comunhão e cheio de alegria. O Senhor falou de forma forte e prática, com todos os que participaram. Foram transmitidos princípios espirituais e práticos que certamente serão úteis às igrejas para que o louvor se torne cada vez mais um instrumento poderoso para a edificação da igreja.

Esclarecemos que as notas abaixo são apontamentos feitos durante as reuniões por irmãos que estavam participando do evento. O texto não foi revisado pelos preletores e pode conter erros de digitação e ortografia.

Boa leitura e bom desfrute!

ENCONTRO VERDADEIROS ADORADORES – LIMEIRA – 15/06/2017

 
Notas das palavras ministradas pelos irmãos Roberto Graner, David Ma, Lucas ABC e Marco Mello no Encontro Verdadeiros Adoradores, para músicos, líderes de louvor e irmãos responsáveis das igrejas da região 8B em Limeira no dia 15/06/2017.
 
 

Princípios espirituais gerais – Roberto Graner

Êx 15:2 De modo geral não damos tanto valor à música na vida da igreja. Associamos a música a algo do emocionalismo e da vida da alma e nossa ênfase é sempre a palavra. Não queremos dizer que a `Palavra não é tão importante. Apenas queremos dar mais valor à música. Exemplo de que não damos muita atenção é que geralmente o serviço de música em nossos salões de reuniões fica localizado ao fundo. Nossa ideia parece ser de que a música é um mal necessário. A música é uma ideia tardia de Deus ou algo que sempre fez parte do Seu plano? Precisamos ver que a música faz parte da natureza de Deus.

Uma palavra hebraica pouco usada na bíblia é Zimrath, que significa tocar instrumento. Ela parece apenas em Ex 15:2, Sl 118:14 e Is 12:2. O Senhor é força, cântico, ou música, e a salvação. Is 12:2 diz que Deus é o meu cântico. Por isso, Deus é a nossa música.

Jó 38:7; Sf 3:17; Zc 9:14; 1Ts 4:16 O Senhor está em nosso meio e se regozija com júbilo, ou seja, com música.

Somos a imagem e semelhança de Deus e, por isso, gostamos de música. Por isso, todos os homens gostam de música, independente do tipo de música que gostem.

Sl 40:3 Deus é a origem do louvor. Foi o Senhor quem colocou um novo cântico nos lábios. Ele faz brotar em nosso coração e sair pelos nossos lábios o coração. Esse cântico é de louvor ao Senhor. Louvamos o nosso Deus. Ele coloca em nosso coração um cântico de louvor a Ele mesmo. Ele coloca em nós para que O louvemos. O resultado desse processo é que muitos verão a Deus. As pessoas vêm Deus quando louvamos. Um cristão é alguém alegre. As pessoas em geral estão angustiadas e tristes e ao ver-nos louvando a Deus podem ver Deus. Eles então temem e passam a confiar em Deus.

Ap 5:8b-9a O trono de Deus é um ambiente musical. Antes das taças de ouro, que dizem respeito às nossas orações, faz menção da harpa e após as orações, entoavam um novo cântico. Cada dia teremos um novo cântico.

A música é uma linguagem universal. Ela tem o poder de comunicar, transmitir ideias e sentimentos. Ela forma o caráter de uma pessoa. Aristóteles dizia que o caráter de um poco é determinado pelo tipo de música que ele ouve. Diz-se que houve um imperador chinês que viajava por todo o império para constatar em cada província o que as pessoas estavam cantando. Dependendo de qual música era popular naquela região ele fazia correção, porque acreditava que se as pessoas ouvissem boas músicas seriam também boas pessoas.

Eu tenho viajado muito para o Caribe e ali eles ouvem muito salsa, merengue, que são músicas sensuais. O resultado é que quando vamos cuidar dos irmãos constatamos que dificilmente há pessoas que não estejam em seu terceiro ou quinto casamento. É comum haver adolescentes que engravidam ali. Isso tem a ver com o tipo de música que ouvem. A música tem o poder de comunicar independente das palavras.

Podemos pensar que basta colocar uma letra cristã em uma melodia, mas não é assim, porque antes que as palavras cheguem à nossa mente, a melodia já penetrou em nossos corações. Ao ouvirmos determinada música podemos sentir pavor, medo, alegria ou melancolia sem que nenhuma palavra seja dita em qualquer idioma. A música comunica sem palavras. Precisamos desenvolver essa habilidade de comunicar com a música independente da letra. A música pode influenciar as pessoas e nós devemos usá-la para influenciar positivamente os irmãos. Estou bem convencido do poder da música na vida das pessoas. Por isso tenho tido bastante encargo e interesse de que nosso cantar na vida da igreja suba de nível.

Sl 22:3; Hb 13:15 Deus está entronizado entre os louvores. Louvar exige também sacrifício. O louvor é o serviço mais elevado cumprido pelos filhos de Deus e a expressão mais elevada da vida espiritual de um santo.

“O louvor é a maior obra realizada pelos filhos de Deus. podemos dizer que é a maior expressão da vida espiritual de um santo. O trono de Deus é o ponto mais algo do universo, mas ele se sentea entronizado entre os louvores de Israel. O nome de Deus e mesmo o próprio Deus são exaltados por meio do louvor.

A Bíblia presta muita atenção ao louvor. É assunto frequente nas Escrituras. O livro de Salmos está cheio de louvores esse é, de fato, um livro de louvor no Antigo Testamento. No entanto Salmos contém capítulos não só de louvores, mas também de sofrimento. Deus quer que Seu povo saiba que os louvores foram conduzidos através de situações difíceis e cujos sentimentos foram feridos. Esses salmos nos mostram homens guiados por Deus através das sombras da escuridão. Eles foram rejeitados, caluniados e perseguidos. Todas as tuas ondas e águas passaram sobre mim. No entanto Deus aperfeiçoou seus louvores. As palavras de louvor nem sempre vem da boca dos navegantes suaves. Eles vêm muito mais dos que estão sob disciplina e julgamento. Em salmos, podemos tocar os sentimentos mais feridos e encontrar os maiores e mais altos louvores. Deus usa muitas dificuldades, sofrimentos e calúnias para criar louvores em Seu povo. Ele os faz aprender, por meio de circunstâncias difíceis, a louvar perante Ele.

As pessoas mais felizes nem sempre tem o maior louvor. O louvor mais elevado quase sempre vem dos que passam por dificuldades. Esse tipo de louvor é mais agradável a Deus e abençoado por Ele. Deus não quer que os homens o elogiem somente quando estão no topo da montanha vislumbrando Canaã, a terra prometida. Ele deseja muito mais ver Seu povo escrevendo salmos e louvando-o quando andam “pelo vale da sombra da morte.” (23:4) Esse é o louvor genuíno.” (Whachman Nee)

2Cr 20:22 O louvor é a maneira de vencer os ataques espirituais. Pensamos que louvamos depois de terminar vitoriosamente uma situação de luta. Mas a estratégia de guerra aqui foi lutar louvando. Quando começaram a louvar, os inimigos foram desbaratados. Quando aprendermos a louvar e dar graças a Deus vamos passar a experimentar vitória. Precisamos aprender a reconhecer o Senhor em toda situação.

Sl 18:3 A salvação vem depois de invocar e louvar o Senhor. O louvor não é a consequência da vitória, é a causa.

Sl 50:23 O louvor é para glorificar a Deus. Agradeçamos pelas boas coisas e por tudo que Deus tem feito por nós.

Is 43:21 Fomos criados para Seu louvor.

Is 61:3 O louvor alivia o fardo.

====================

A pessoa do ministro de louvor – David Ma

Ilustrando o que o Roberto falou acerca da mensagem transmitida pela música: há a história de uma mulher que esteve em obra missionária na África do Sul e ouviu em um hospital uma melodia muito bonita entoada por uma mulher zulu. Ela foi extremamente tocada e veio às lágrimas ao ouvir aquela melodia. Ao perguntar à mulher qual a letra daquela melodia, ficou surpresa ao saber que a letra dizia: se fervermos a água, não teremos diarreia.

Há  4 tipos de pessoa na vida da igreja relacionadas à música. Os músicos, que tem a parte musical em ordem, mas não tem a parte espiritual em ordem. Há os bons irmãos, que têm a parte espiritual em ordem, mas não tem a parte musical. Tem os que precisam de salvação, que não estão bem em nenhum aspecto. Mas há os verdadeiros adoradores. O importante é haver os que equilibram o aspecto musical e espiritual para levar os irmãos a uma realidade.

Por isso, queremos tocar na pessoa do que é líder de louvor e adoração.

Na Bíblia não encontramos o termo líder de louvor. Por outro lado, há versículos que nos mostram que Deus nos dá dons espirituais.

1Co 14:26  Trazer um salmo faz parte da reunião e o princípio geral é que tudo deve ser feito para a edificação.

1Co 12:4-7 A música na igreja tem de ser usada para um fim proveitoso, para a edificação da igreja.

Um fiel líder louvor e adoração magnifica a grandeza de Deus em Jesus Cristo por meio do poder do Espírito Santo combinando habilmente a Palavra de Deus com música, dessa maneira motivando a igreja reunida a proclamar o evangelho, a apreciar a presença de Deus, a viver para a glória de Deus e a ser edificada.

Quem envolvidos com a música na igreja devem ser tais pessoas. Nossa percepção espiritual muda quando tocamos nisso. Como líderes, precisamos cumprir essa função na igreja. Não teremos todas essas habilidades em uma só pessoa. Talvez, um irmão será mais um ministro da palavra e outro mais músico. Eles se completarão. Mas há alguns irmãos que tem tudo. Esperamos que cada vez mais tenhamos irmãos com esse perfil, mas até lá esperamos ser uma equipe que completa as coisas.

É Deus quem define nosso ministério. Somos chamados por Deus e é ele quem precisa nos considerar fiéis. Quando estamos ministrando louvor estamos ministrando Cristo e o Senhor precisa ver fidelidade em nós. Isso mostra que estamos servindo ao Senhor e não a homens e é a ele que devemos agradar.

Rm 12:8 o que preside é o que está à frente, lidera, deve ser diligente, ou seja, deve ser sério no que faz. Se o serviço de louvor e adoração chega atrasado na reunião, como haverá um bom ambiente para edificação? Se servimos a nós mesmos também não é ser diligente. A única liderança que interessa na igreja é aquela que permite o Senhor governar. Permitimos o Senhor nos governar para que a glória seja de Deus.

Magnificar o nome de Deus tem a ver com o nosso sentimento de que Ele está acima de nós e de uma atitude de reverência e humilhação diante de Deus. Ao cantar temos de nos lembrar quem somos e qual a nossa posição. Temos de reconhecer o Senhor como nosso cabeça e a fonte de tudo.

Temos apenas um mediador entre Deus e os homens – Jesus. Como cooperadores de Deus, em Cristo Jesus, podemos ajudar a igreja a ter um sentimento de reconciliação. Cristo é o centro do nosso louvor, porque somente Ele nos leva a tocar na pessoa de Deus. A obra de Deus deve ser o centro em nossas reuniões. Se nossos hinos podem ser cantados por pessoas incrédulas sem gerar nenhum tipo de sentimento desconfortável nelas, significa que há algo errado. Jesus Cristo tem de ser parte de nossos hinos. Somos cristãos e nosso louvor é centrado em Cristo. o poder do Espírito Santo está em Cristo.

Muitas vezes damos importância à energia física para alimentar os instrumentos, mas negligenciamos o poder do Espírito Santo. Sem o Espírito não podemos fazer nada.

Dependência total – quanto tempo estamos despendendo em oração antes das reuniões? Sabemos como cantar e como tocar? Nossa oração precisa ser específica. Se a reunião tem como encargo salvar as pessoas, temos de orar para que esse e aquele hino toque as pessoas, para que em cada nota tocada o sentimento daquele hino seja transmitido aos presentes na reunião.

Expectativa de que o Espírito agirá – precisamos crer que o Senhor vai agir. Uma vez que dependemos do Senhor, temos de crer.

Sensibilidade – durante a reunião, é preciso sentir o ambiente da reunião. Podemos ter planejado cantar três hinos, mas o Espírito conduz a reunião por outro caminho. Precisamos seguir o Espírito.

Nossas reuniões precisam ser baseadas na Palavra do Senhor. Um líder de louvor precisa estar envolvido com a Palavra de Deus. Se olharmos para Cl 3:16, veremos que primeiramente temos a palavra.

As orações durante nossa liderança nos hinos devem ser baseadas na Palavra de Deus. Precisamos ter a nossa vida baseada na Palavra de Deus. Quando a música chega baseada na Palavra ela tem o poder de transformar vidas.

A música é apenas o suporte para que a adoração seja mais eficaz. É preciso ter um coração puro e criar um ambiente musical que ajude a adoração. Se a música for tocada de forma inadequada a adoração será comprometida. Ela precisa estar sincronizada com a palavra para que a adoração seja equilibrada.

Para motivar a igreja reunida, não podemos ser pessoas que dão ordens aos irmãos. Não somos animadores de palco. Nos movemos pelo Espírito. Não adianta forçar a barra por nossa alma caída e gerar algo artificial. Também não podemos condenar os irmãos. Devemos evitar usar truques demais como solos de guitarra. Isso levará os irmãos a adorar o guitarrista e não a Deus.

Precisamos ter intuição para conectar a experiencia dos irmãos à palavra de Deus e ao sentimento do Espirito para que os irmãos se voltem ao Senhor. Precisamos conectar a Palavra de Deus à experiencia dos irmãos. Se a igreja inteira está passando por provações, vamos cantar um hino de encorajamento nas provações. Sincronize a banda para gerar um sentimento de esperança nos irmãos. Precisamos ter intuição e unção.

Temos de amar e valorizar a presença de Deus. A presença do Senhor deve ser agradável para nós e gerar esse sentimento nos irmãos que estão na reunião.

Tudo que somos é para a glória de Deus. Os instrumentistas precisam saber a quem estão glorificando.

O resultado do nosso ministério de louvor deve ser a edificação a igreja.

Não somos apenas um irmão que toca violão. Liderar o louvor é algo muito mais amplo do que isso. Se tivermos essa realidade, os incrédulos que estiverem em nossa reunião perceberão que Deus está em nosso meio.

Um líder de adoração de ter as características:

– ser um ministro de Cristo – precisamos desenvolver nossa intimidade com Cristo na Palavra, na oração. Somente conseguimos produzir nos outros o que experimentamos. Quanto tempo temos investido em nossa vida diária para adorar a Deus, para ler a Palavra e para estar face a face com Deus? Isso é o que vai definir nossa qualidade como ministros de louvor. Vamos cuidar de nossa vida espiritual. Sempre que você tiver uma experiencia relevante com o Senhor  em sua vida, escolha um hino para marcar aquela experiencia. Isso nos levará um passo mais perto de sermos ministros de louvor, porque poderemos ajudar irmãos a cruzar abismos e se reconectados a Deus por meio de Cristo.

– Precisamos ser musicalmente capazes. Ou você se capacita, ou é melhor deixar os cantores cantarem.

– Um ministro de louvor deve ser quase invisível. Trata-se de conduzir e não estrelar. O centro do hino é Cristo. Se quando os hinos acabam e o comentário geral na congregação é que você conduziu muito bem, sua condução foi um fracasso. Mas se o resultado é agradecimento ao Senhor por ter sido tocado pelo Ele na reunião, então teremos sido bem-sucedidos.

– Um ministro de louvor fica atento em toda reunião. Se no final da palavra couber um hino ele poderá servir aos irmãos. A edificação da igreja é uma só e todos precisamos cooperar.

– O ministro de louvor precisa estar alinhado com a liderança da igreja e os profetas que irão ministrar a palavra. 

– O ministro de louvor precisa dar espaço para expressão de várias emoções na reunião. Temos de estar sensíveis para reconhecer a condição dos irmãos e ministrar algo que consiga atingir a grande maioria. Quando somos governados pelo Espírito nossa capacidade psicológica é ampliada. Precisamos renovar nossa mente e amar o Senhor de todo nosso coração. Somos seres emocionais e devemos estar governados pelo Espírito de Jesus Cristo, que também tem sentimentos.

Nossa experiência com o Senhor deve ser sempre ampliada para levar os irmãos a adorar o Senhor em todos os seus aspectos. 

Temos de ter empatia com os irmãos para leva-los a desfrutar e participar da adoração. Por isso, em cada reunião precisamos depender do Senhor e buscá-Lo para saber qual o sentimento a igreja precisa naquela reunião.

O grupo que cuida do louvor e adoração da igreja precisa buscar essas características.

=========================
Preparação – o que fazer antes das reuniões – Lucas ABC

É preciso preparar o momento de louvor assim como se prepara a palavra que será ministrada na reunião.

  1. Conhecer ou selecionar um tema ou objetivo da reunião.

– qual o tipo de reunião? Jovens, evangelho, etc.

– Definir uma linha mestra. Em algumas palavras, precisamos definir qual é a mensagem que queremos transmitir.

  1. Buscar o sentimento do Espírito

            – Pela oração

            – Pelo estudo da Palavra – os que ministram o louvor devem estar por dentro do encargo da mensagem da semana do Alimento Diário, por exemplo. Temos de buscar qual o encargo que o Espírito tem para aquela semana.

  1. Conhecer o perfil da plateia e sua condição atual

– Conhecera faixa etária dos irmãos

– Recém salvos ou antigos na vida cristã?

– Quais hinos eles já conhecem?

– Quais melodias são mais familiares aos irmãos?

– Qual o nível educacional dos irmãos?

– Em que situação emocional e espiritual se encontram?

  1. Selecionar os hinos

– Músicas já dominadas pelos envolvidos no louvor (músicas novas não devem ser ensaiadas e cantadas no mesmo dia).

– Conhecer os hinos. Para selecionar os hinos precisamos conhece-los.

– Privilegiar os hinos mais alegres ou fáceis no início da reunião.

– Construir o encargo, da condição atual ao objetivo.

– Observar se os hinos não se contradizem.

– Observar letra e melodia para construção do ambiente e mensagem escolhidos – uma melodia mais familiar aos irmãos pode ser mais adequada antes de outro hino

– Escolher um ou dois hinos a mais do que o tempo determinado – repetir um mesmo hino em algumas reuniões pode ajudar a reforçar um sentimento nos irmãos.

5. Informar com antecedência

Assegurar-se que todos os envolvidos saibam com antecedência os hinos a ser cantados

            – projeção

            – condução

            – Conjunto

            – Irmãos responsáveis e profetas

6. Chegar cedo

            – Oração

            – Afinar instrumentos

            – Passar som

            – Resolver imprevistos

            – Já tocar enquanto os irmãos chegam (seguindo orientação dos presbíteros)

7. Seguir a direção da liderança

            – Combinar previamente o tempo de louvor

            – Verificar tipo de condução – existem várias formas de conduzir os hinos e ela deve estar acertada com a liderança da igreja, para trazer credibilidade ao serviço e peso.

==================
Conhecer os hinos – Marco Mello

Precisamos saber o conteúdo dos hinos e também as melodias. Temos um hinário com cerca de 700 hinos mais vários hinos que têm sido ensinados nas Conferências. Talvez ninguém conheça todos eles.

Os irmãos que estão envolvidos no serviço não os conhecem porque não procuram conhecer. Temos de procurar conhecer os hinos para ensinar aos irmãos. Poucos têm o hábito de usar o hinário fora das reuniões. Como estamos liderando os hinos temos de levar os irmãos também a conhece-los.

Há hinos que são antigos e passaram por séculos ou décadas. Se esses hinos passaram pela prova do tempo eles têm um valor para nós. Eles também nos trazem a herança que os irmãos que desbravaram o caminho antes de nós. Aquilo que eles desfrutaram pode ser ganho por nós através dos hinos. Temos de procurar aprender esses hinos para ensinar os irmãos.

Um bom hino tem três características: base na verdade, poesia e impacto, que vem da experiencia do autor. Exemplos: Hino 78 e Hino 284.

Alguns hinos são cheios de versículos, mas só isso ainda não é suficiente. Quando o autor passa por uma situação e escreve aquilo, isso causa um impacto em nossa vida. Conhecer os hinos é crucial para nosso serviço de conduzir os irmãos a adorar o Senhor. Após cantar os hinos os irmãos são edificados.

======================
Condução do louvor nas reuniões – Roberto Graner

Atualmente nosso modelo de reuniões é sem uma liderança definida.

1Cr 15:16; Am 9:11; At 15:16-17 A primeira vez que o serviço de música foi organizado foi na época do rei Davi. Quando Davi fez subir a arca e dançou com alegria ele organizou o serviço de música.

1Cr 15:14 – Serviço santo. A santificação foi a base do estabelecimento de seu serviço. É um requisito sem o qual não teremos

1Cr 15:22 Tinha liderança. O serviço de música tem de ter liderança. Há vários irmãso que servem, mas dentre eles alguém tem de ser líder. Se não houver líder a chance de desastre na coordenação é grande, prejudicando o serviço.

1Cr 15:22 Eram peritos. Quando alguém que não é perito, o serviço fica prejudicado.

1Cr 16:6-9 Render graças ao Senhor é o modo de iniciarmos nosso serviço.

1Cr 16:37; 23:5; 25:1, 6-7 Durante 33 anos eles tocavam em turnos de 24 horas. Eles ficaram tocando todo o tempo e enquanto estavam louvando a Deus experimentaram vitória.

As reuniões e a música – como nos reunir?

Jo 4:21 – Não existe um lugar específico para as nossas reuniões, mas é no espírito.

Nossas reuniões não são cerimoniais, mas são para buscarmos a Deus. o resultado de nos reunirmos deve ser O encontrarmos. Nesse sentido, não importa a forma, mas que seja feito com espírito e com realidade. Não estamos aqui focando na forma, mas o que queremos fazer é, baseado na experiencia, ajudar os irmãos com algumas coisas que experimentamos ser proveitoso para chegarmos em nosso objetivo.

Não existem modelos estabelecidos de como devem ser as reuniões no Novo Testamento e nele não há menção de instrumentos musicais nas reuniões. 

Deus não tem uma forma única. A tendência humana é cristalizar os eventos, ou seja, é tornar uma regra uma forma em que se experimentou o dispensar e a manifestação de Deus. Por isso, Deus não deixou modelos. Com essa omissão Deus está dando um recado para nós de que o importante é que seja feito no espírito. o importante não é a forma, mas que seja em espirito e realidade. Você pode fazer da melhor forma, mas se não tiver espírito, não serve. Após partir o pão com os discípulos o Senhor cantou um hino, mas não registrou qual foi esse hino. Se ele tivesse registrado, certamente em toda reunião cantaríamos aquele hino. Deus prioriza a realidade.  (Mt 26:30; At 20:7-12; 1Co 14:26)

Oração, palavra e música são uma característica das reuniões. A música é parte da reunião. Não deveria haver reunião sem esses três elementos. 1Co 14 e Ef 5 nos mostram esses itens.

1Pe 2:9; 1Co14:26 Nossas reuniões são no princípio da mutualidade, que é bíblico. Essa prática serve para um número menor de pessoas, mas ela é impraticável em um número maior de pessoas. Na prática, quando há um número maior irmãos, há um monopólio de alguns irmãos na reunião e não existe a mutualidade.

Em nossas reuniões devem ser no espírito e ter os três elementos – palavra, oração e cântico. Quando há um número maior de irmãos, é preciso haver condução. É preciso haver uma palavra e os hinos precisam ter uma condução, com uma liderança. Embora nossa prática não seja essa atualmente, é preciso mudar.

O irmão que está liderando o louvor e adoração é como se fosse a coluna no Santo dos Santos, ou seja, ele está chamando os irmãos para entrar no espírito. ele está no espírito e está chamando os demais a entrar no espírito através da palavra, da oração e da música. Esses elementos são os meios que devem levar os irmãos para o espírito.

Em regra, o tema das nossas reuniões ministeriais são a mensagem da semana no Alimento Diário. Normalmente, priorizamos escolher um hino sobre o assunto da mensagem. Contudo, é mais importante que os irmãos estejam no Espírito do que que eles cantem algo relacionado ao tema da mensagem.

Nesse momento da reunião o importante não é que eles entendam o assunto da reunião. Os irmos chegam às reuniões cansados de sua semana e precisam ser ajudados a tocar o Senhor. Por isso, é preciso haver uma liderança para conduzi-los do Átrio até o Santo dos Santos. Esses precisam buscar os irmãos onde eles estão e conduzi-los até o Santo dos Santos. Quando ele entrou no espírito, então, a palavra flui e ele recebe o falar de Deus direcionado a ele. Nesse aspecto, é melhor que se cante um hino relacionado à mensagem após a mensagem.

A única regra que temos é o Espírito. Toda reunião precisa ser no espírito e todos os irmãos precisam ser enchidos do Espírito.

============================

Condução do louvor nas reuniões (2) – Lucas ABC

Condução autentica, adequada, com palavra e espírito

– Não copiar ou imitar – não fazer do jeito que outro irmão faz. Você pode aprender com outros, mas não tente ser igual outro irmão. É preciso ser autêntico para ser adequado.

– Fazer em público o que se faz em particular – precisamos ser autênticos.

– Usar versículos e momentos de oração – é preciso haver coordenação entre quem conduz e os que tocam os hinos.

– Não admoestar a igreja (atentar à forma de dar indicações). Ao conduzir, não devemos dar ordens aos irmãos, mas sugerir e encorajar. O que falamos é para evidenciar o que está no hino. Após falarmos, os irmãos cantarão com mais realidade o conteúdo do hino.

– Foco em Cristo e não na pessoa. Nos tornamos iguais aquilo que adoramos. Portanto, ao terminar a adoração os irmãos devem estar mais parecidos com Cristo.

=================